top of page

O BURACO DA FECHADURA

rabiscos, escrevinhações, achismos e outras bobagens

Buscar
  • Foto do escritormarcosthomazm

"Calma Alisson!"


Sopapos na cabine, Galos maiorais, água benzida, penta, hexa e chocolate tricolor


Este foi o último final de semana de 2023 com holofotes ainda sobre campeonatos estaduais, antes do começo das competições nacionais (Ô Grória!!).


Como sempre, os torneios semi-amadores guardam emoção apenas para o final...


Então vamos aos destaques da bola em Pindorama nesta rodada final de estaduais:


1)De uma só vez os GALOS meteram a espora e faturaram 3 títulos em intervalo de poucas horas.


O mais tradicional e mais famoso (calma Trezeanos, desçam daí. Estou falando do Clube Atlético Mineiro) venceu o América e chegou ao 48 título estadual. Isolado, o maior campeão das Gerais.


Já o Galo de Campina (sossega o facho, não falo ainda do galiforme da Campina Grande...)


Mas o Galo de Campina original, oficial como mascote levou o campeonato alagoano em final contra o Asa (“e se o Asa for campeão?” Não foi Chico). Deu CRB na sereia alagoana.


Agora falando do Galo Maioral, o mais orgulhoso do Brasil, o Treze...


A festa foi com requintes de sofrimento, nos pênaltis, após gol sofrido nos minutos finais.


Destronou o Sousa, melhor time da competição e levou para Campina o quarto estadual seguido.


Em tempo, no último título estadual do Treze, em 2020, os 3 galos também foram campeões juntos.


No que isso importa? Não sei...


Mas não existe resumo de estadual, quiçá nordestino, quem dirá paraibano sem folclore...


Com quase 15% da população sousense no estádio Marizão, o episódio de maior repercussão veio de uma cabine de imprensa na terra dos Dinossauros.


Dois "jurássicos" resolveram trocar carícias, digo sopapos" em meio a bola rolando e narração exclusiva na cabine da Max Correio FM : "calma Alisson".


Lamentável, pior ainda quando se apresentam as credenciais: um sobrinho do presidente do time e vereador da cidade sorriso, o outro, simplesmente, irmão do prefeito Fábio Tyrone.


Para fechar o ciclo sobre campeonato paraibano...


Não sei se foi a "água benta", meu estado alterado da mente, mas juro ter ouvido o hino do Campinense após o título do Treze durante a transmissão via streaming.


Mas deve ter sido uma ilusão. Melhor , seria crime inafiançável no lado alvinegro da Borborema.


2)Na Terra do “melhor futebol nordestino de todos os tempos da última semana” , deu Fortaleza sobre o Ceará. Pentacampeonato para o Leão do Pici, igualando feito do rival lá no começo do século passado. De quebra o tricolor ainda passou o alvinegro de Porangabaçu e se isolou na liderança de títulos estaduais.


3) Em tempos de Páscoa, teve milagre interrompido na Terra da Garoa.


O Água Santa, que há 13 (olha o Galo aí de novo) anos sagrava-se campeão de bairro em Diadema, queria alcançar a glória eterna de ser o máximo campeão paulista.


Até tentou, venceu o primeiro jogo, mas foi goleado na decisiva pelo Palmeiras (bicampeão) e ficou com o, mais que honroso, vice-campeonato estadual.


4) Outro grande feito em São Paulo vem do interior.


A Ponte, a “macaca querida”, gritou “É CAMPEÔ após mais de meio século.


O título da Série A2 se soma a outro de divisão intermediária no distante ano de 1969, únicos troféus profissionais a constar na prateleira campineira.


Um dos mais tradicionais e mais antigos clubes de futebol brasileiro, a Ponte, com 120 anos de história, nunca, jamais ganhou um título de primeira divisão e segue mobilizando uma torcida apaixonada.


Isso é o futebol!


5) No Sul, manteve-se a tradição.


Grêmio hexa. Lá é assim, sempre pautada por períodos longos de hegemonia, ora tricolor, ora colorado.


Hexas, heptas, até octa são comuns no Gauchão, alternados entre a dupla que divide o estado em banda vermelha e banda azul.


E Renato é o rei do Rio Grande! Maior campeão com o Grêmio como jogador e treinador. Um caso de amor em três cores.


6) Saindo do Sul a parada final é em outro território bem conhecido pelo Portaluppi.


O chocolate de páscoa veio daquele tido como campeonato mais charmoso do país, exatamente, no clássico mais famoso do Brasil.


4x1 para os tricolores, em uma heróica virada, após perder o primeiro jogo por 2x0. Mais uma final para entrar no hall de inesquecíveis títulos sobre o rival. Sim, o Flamengo é um freguês tricolor em decisões, que o digam o Casal 20, a barriga do próprio Renato etc e coisa e tal.


O "Dinizmo" segue em alta, para desespero dos conservadores e defensores do futebol reativo como único modelo, já o Flamengo...


A Páscoa já passou, o Filho do Homem já ressuscitou na tradição Cristã, mas os flamenguistas ainda esperam o seu "Jesus" salvador.

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Início: Blog2
Início: GetSubscribers_Widget
pexels-photo-776153.jpeg

ENTRE EM CONTATO

Suas informações foram enviadas com sucesso!

Início: Contact
bottom of page