O BURACO DA FECHADURA

rabiscos, escrevinhações, achismos e outras bobagens

Buscar
  • marcosthomazm

"Não há motivo para festa"- O Bolsonarismo ainda pulsa


Ao contrário do que pode aparentar aqui, ou alhures, nem do que supõem meus detratores, eu não gosto de alimentar pessimismo, teoria do caos etc e coisa e tal.


Não me deixo consumir por profecias apocalípticas e todas estas negatividades que nos paralisam a capacidade de ação.


Mas não posso me furtar a realidade, isso jamais.


Já disse aqui mesmo neste espaço que, infelizmente, independente do resultado em outubro, nós já perdemos.


Mesmo que as urnas confirmem o iminente massacre, derrota acachapante, negação a esta política exterminante que o bolsonarismo promove, nós já perdemos.


Perdemos pela fome de 35 milhões de brasileiros, pelo ataque a minorias, pelo desmonte de políticas básicas, pela destruição de institutos e dispositivos sérios, pelo sucateamento do ensino superior.


Sucumbimos pelo aparelhamento da máquina pública, ideologização da mediocridade, quebra de finalidade de órgãos essenciais e corrupção. Sim, corrupção pesada, escancarada, apenas acobertada por você: o anterior bastião da moral.


Em tempo, se você, “cidadão de bem”, não consegue enxergar corrupção neste governo, parabéns. Você é personagem chave deste texto, deste sistema retroalimentado pela hipocrisia.


Perecemos pela militarização do governo e seus princípios autoritários, truculentos.


Mas, fundamentalmente, fomos derrotados porque o bolsonarismo não morre com a retirada de Bolsonaro do poder.


Assim como não nasceu com o tal Mito, o bolsonarismo não será extirpado com a simples ausência dele.


Bolsonaro é apenas um vetor, um corpo abjeto, um estúpido/imbecil, sádico voluntário, um instrumento a imagem e semelhança de toda torpeza que este sentimento/pensamento representa.


Esta visão de mundo nociva que, saiu dos subterrâneos a empoderar canalhas, a fazer calhordas saírem dos bueiros.


É sobre você aí mesmo, ou aquele seu par que sempre condenou políticas de redução de desigualdades. Lembra o quanto se divertiam execrando o Bolsa Família e esta indigência de dar dinheiro a miseráveis?!?!


"Povo pobre e indolente."


Vociferava, desavergonhadamente.


É sobre seu racismo meio encoberto. Eu vejo pelas frestas negras seu preconceito voraz.


Sua homofobia, misoginia de ironia, apenas.


“Foi só uma brincadeira. Nunca ofendi gays. Até converso com alguns...”


Seu simples desprezo pelo outro, que não seja, ou pense igual a você e esta caixinha de delírios, devaneios, ameaças comunistas, terraplanismo e afins.


Seu elitismo indisfarçável, de manter tudo como está, meritocraticamente, em um país naturalmente desigual, abissal, desumano.


Aqueles que comungam da fé cristã inabalável e opressora, vingativa.


O seu Deus raivoso, de arma em punho.


Mas é também sobre nossa permissividade, de todos nós, que víamos o monstro emergir e mais do que não corroborar, não combatíamos.


“Não basta não ser fascista, é necessário ser antifascista”. Lembra?


Quando havíamos praticado, reagido, combatido esta patifaria antes da aberração tomar forma e ocupar as ruas, sem medo de expor sua ignorância e vileza moral?


Só depois que o “caldo entornou”...


Portanto amigos, não é necessário perder para ser derrotado.


Nada mais urgente do que retirar esta aberração bolsonarista do poder.


É sempre o primeiro passo.


Mas a luta continuará.


Não deixemos a euforia da vitória parcial obscurecer nossa visão.


Esse movimento nefasto de extrema direita tende até a aglutinar ainda mais alucinados/teleguiados adeptos quando partir para o outro lado do front.


Deixar de ser o governo não realizador, incompetente e passar, novamente, a fazer as vezes de salvador da pátria.


"É preciso estar atento e forte".


Nem sempre quando vencemos, ganhamos de fato.

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 
 
pexels-photo-776153.jpeg

ENTRE EM CONTATO

Suas informações foram enviadas com sucesso!