O BURACO DA FECHADURA

rabiscos, escrevinhações, achismos e outras bobagens

Buscar
  • marcosthomazm

REDAÇÃO TABAJARA – CASSIANO, sempre é tempo de celebrar os imortais


Havíamos programado uma homenagem a Cassiano desde o fim do ano passado... Em meio a outras pautas “urgentes” esta foi sendo protelada.


Eis que caímos na armadilha do “tempo perdido”.


Mesmo tentando desviar do rigoroso manual jornalístico do foco total na “melhor notícia de todos os tempos da última semana” sucumbimos a estatística e quase nos juntamos a maioria desmemoriada nacional.


Eu disse quase...


Apesar de reconhecer o valor de uma homenagem em todo e qualquer tempo, sou adepto daquela máxima de valorizar o artista, a pessoa em vida. Um reconhecimento “de corpo presente”.


Pois bem, traídos pela crença na imortalidade dos gênios restou-nos o post mortem para prestar um tributo ao pai da soul music nacional, Cassiano.


Mas não qualquer homenagem.


O Podcast Redação Tabajara desta semana é um trabalho minucioso, apurado, dedicado, quase sensitivo de reverência à trajetória brilhante, mas pouco, desproporcionalmente festejada deste paraibano de Campina Grande.


Cassiano, o homem que, por exemplo, deu simplesmente os dois grandes sucessos do primeiro disco de Tim Maia.


Embalado pelo próprio talento, mas desperto no imaginário nacional por “Primavera” e “Eu Amo Você”, o mesmo Tim, no outro extremo, se tornou o mais badalado artista da música negra americana aqui no Brasil, enquanto Cassiano amargou o ostracismo durante 90% de sua carreira.


Ou como o próprio Cassiano dizia: “eu sou um mestre, gênio quando a indústria fonográfica precisa fazer, ou levantar uma Sangalo da vida”. A fala tem uma menção direta a musa baiana que regravou um outro estrondoso sucesso do campinense, “Coleção”. Quem não lembra dos versos em axé romântico (existe isso??): “Sei que você gosta de brincar de amores. Mas ó, comigo não...”


O reconhecimento autêntico, espontâneo mesmo veio de adeptos de outro estilo negro norte americano: o rap. Mais precisamente dos Racionais MC’s, com Mano Brown citando Cassiano em uma das músicas de maior sucesso da banda, “Vida Loka Pt 2”. Aquele mesmo Racionais, que resgataram uma fase até então obscura de Tim Maia, que a partir de então virou Cult (já tratei sobre isso aqui: https://www.marcosthomaz.com/post/do-papa-ao-sertanejo-universit%C3%A1rio-a-for%C3%A7a-dos-racionais-mc-s


É sobre o Cassiano, quase sempre renegado, praticamente mais um “maldito” da Música Popular Brasileira, que se debruçou o Redação Tabajara, um podcast inteiro dedicado a resgatar a vida e obra deste paraibano, que deu alma, “régua e compasso” e suingue a soul musica brasileira.


E Cassiano fez tudo isso sem esquecer dos elementos nordestinos, como indica por exemplo, na regravação em arranjo subvertido da música “Meu Cariri”, um baião da década de 50.


O Redação Tabajara tem direção de João Lira e nesta edição apresentaram Beth Menezes e Rayo Miranda, com participação de Camila Alves e entrevistas de Ítalo Sochin e Will.


Você pode conferir o especial Cassiano clicando no link abaixo. Para conferir esse, ou outros podcasts basta acessar qualquer plataforma de streaming (spotify, deezer, castbox, anchor etc) e digitar Rádio Tabajara.



65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 
 
pexels-photo-776153.jpeg

ENTRE EM CONTATO

Suas informações foram enviadas com sucesso!