top of page

O BURACO DA FECHADURA

rabiscos, escrevinhações, achismos e outras bobagens

Buscar
  • marcosthomazm

Un amor "DE MUSICA LIGERA!"


Brasileiro infiltrado na torcida argentina

Para começar a despedida da viagem “copística” largo logo que, no domingão, eu serei Argentina na final da Copa do Mundo!


Nunca imaginei dizer, quiçá viver, algo parecido!


A famosa situação “calça de veludo, ou bunda de fora”.


Antes de qualquer explicação pormenorizada deste crime contra a moral boleira brasileira, adianto que não há a menor chance de fazer papel de hermano tupiniquim.


Aquela espécie estranha que se veste de albiceleste, coloca bandeira na casa, no carro, canta em portunhol, decora até o hino argentino, mesmo sem saber completar a primeira estrofe do nacional.


Nunca pisou na Argentina, ou esteve lá apenas para “turistar” em roteiro oficial de agência de viagens, sendo um mero brasileiro, ou “macaquito” como referem-se a nós, especificamente, no mundo da bola.


Aqui não.


Mas, justifico minha torcida, torcida não, apoio, aliás, menos, bem menos...


Digamos que uma leve preferência circunstancial pela Argentina campeã.


Fora o componente Messi, que fascina com seu talento nato e sobrenatural, a opção no caso, no momento, é mais por negação a França, que afirmação a Argentina.


Minha escolha é menos passional e mais estratégica.


Apesar de, mesmo no campo das paixões, na situação específica, no orgulho ferido, a França tenha me maltratado mais, bem mais que a Argentina.


Enquanto pude acompanhar futebol a maior “dor” que os hermanos me impuseram foi a eliminação promovida por Cannigia e Maradona na Copa de 90.


Estive impassível a essa última Copa América vazia e feita “nas coxa” que deu o primeiro título a Messi com o selecionado virgem de títulos dos vizinhos.


E vi o Brasil ganhar mais, bem mais em duelos diretos e títulos.


Agora com a França não. Essa se transformou em carrasco oficial brasileiro.Não lembro do primeiro castigo na Copa de 86 (aquele pênalti maldito de Zico), pois era um infante.


Mas em 98 e 2006 a surra foi colossal.


Ainda teve uma Copa das Confederações em 2001.


Sempre com um Zidane e seu requinte de crueldade no meio do caminho.


Uma vitória da França representaria a consolidação da hegemonia européia sobre a América do Sul.


Os europeus chegariam a maior diferença da história sobre o nosso continente.


Hoje já são 12 títulos contra 9, distância nunca alcançada.


Desde 2002, portanto há 20 anos a América do Sul não vence um mundial, também o maior jejum continental.


A própria França é a atual campeã, seria bi na essência, em seguida, “como manda o figurino”.


A última vez que um bicampeonato clássico aconteceu foi com o Brasil em 58-62 (apenas a Itália tem tal feito também, lá nos primórdios em 34-38)


Em 24 anos a França fará a sua quarta final, com prováveis três títulos.


É a real potência do futebol atual.


Como ouvi por aí: “a França, hoje, é o Brasil de ontem no quesito revelação de jogadores”.


Desde que, de fato, se incorporou os descendentes e filhos diretos das colônias ao selecionado francês, a safra lá não para de brotar e bem mais que vinho e queijos nobres.


Mais de meio time cortado da Copa por lesão (boa parte que seria titular, incluindo o atual melhor do mundo) e, ainda assim, estão na final do Mundial.


Hoje, é a França quem pode formar até três times de altíssimo nível.


Tanto franceses quanto argentinos disputam a honrosa glória de alcançar o tricampeonato mundial.


Mas, sem dúvidas, o país europeu é quem, a médio, longo prazo pode representar risco a soberania brasileira na bola.


Por todos estes fatores elencados: seu crescimento vertiginoso, rápido e de resultados diretos, além da, aparente, inesgotável fonte de talentos.


Por mais estranho que pareça, torcer para a Argentina agora, ainda é uma defesa do título brasileiro de: “país do futebol”.


Futebol é mesmo uma caixinha de surpresas...

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Início: Blog2
Início: GetSubscribers_Widget
pexels-photo-776153.jpeg

ENTRE EM CONTATO

Suas informações foram enviadas com sucesso!

Início: Contact
bottom of page